Queda no atacado deve baratear fruta e hortaliça ao consumidor, diz Conab

Os preços de frutas e hortaliças para o consumidor final devem cair nos próximos dias, já que em julho houve recuo das cotações nas principais Centrais de Abastecimento (Ceasas) do Brasil, de acordo com o 8º Boletim Prohort, da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Mesmo assim, tomate, cenoura e batata devem continuar mais caros em comparação com igual período do ano passado.

Entre os produtos pesquisados, o destaque foi o tomate, que caiu, em julho em relação a junho, cerca de 40% em Recife e de 30% em Brasília, Goiânia e Vitória. A cenoura recuou 17,45% na região central de Brasília e 14,38% em São Paulo no mesmo período, por causa da expectativa de maior oferta em agosto, com a chegada da safra de inverno. A batata, embora tenha menor oferta a cada ano, caiu 22,19% em Curitiba e subiu 0,41% no Rio de Janeiro.

Já a cebola teve altas significativas, na casa dos 30% no período analisado.Entre as frutas, os preços da banana caíram na maior parte das Ceasas – a oferta é ampla e a qualidade do produto sofreu com o frio -, com exceção da banana nanica. A laranja caiu pelo terceiro mês seguido. O preço da melancia nas roças também recuou. O mamão, por outro lado, registrou alta em todas as Ceasas, por causa da menor oferta e da demora do papaya para amadurecer.

Autoria: Estadão Conteúdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *